Tecnologias

Directorio AEGFA

Mercedes-Benz realiza crash test utilizando Raio-X

Em conjunto com o Instituto Ernst Mach (EMI) em Freiburg, na Alemanha, a fabricante realizou o primeiro crash test de Raio-X do mundo com um automóvel real.


MB crash raios x

A bordo estava um Dummy SID II (boneco de teste) com uma anatomia feminina, especialmente projetado para testes de impacto lateral.
Essa demonstração de tecnologia (prova de conceito) nas instalações de pesquisa de colisão do EMI em Freiburg mostrou que a tecnologia de Raio-X de alta velocidade pode ser usada para visualizar processos de deformação interna altamente dinâmicos.

Deformações anteriormente invisíveis e seus processos exatos tornam-se transparentes. As inúmeras imagens de alta resolução permitem uma análise precisa.
Por vários anos, a Mercedes-Benz vem pesquisando o uso da tecnologia de Raio-X em testes de colisão em conjunto com o EMI. O fator decisivo para o avanço foi o uso de um acelerador linear com tecnologia de 1 kHz como fonte de radiação.

O dispositivo é muito mais poderoso do que os flashes de Raio-X usados anteriormente em testes: a energia dos fótons do acelerador linear é de até nove mega elétron volts.

Teste de colisão

Nos milissegundos do tempo real do impacto, o sistema de Raio-X dispara cerca de 100 imagens estáticas. Combinadas em um vídeo, elas fornecem insights altamente emocionantes sobre o que acontece em um acidente.

A parte importante do caminho da pesquisa para a aplicação industrial é o fato de o teste de colisão por Raio-X não afetar nenhuma outra ferramenta de análise. Mesmo as câmeras internas no veículo de teste gravam sem nenhum distúrbio.

Os especialistas do EMI elaboraram um abrangente conceito de proteção contra radiação para o teste de colisão por Raio-X. Dosímetros são usados como monitores para garantir que os funcionários não sejam expostos à radiação.

A autoridade governamental aprovou a operação de acordo com os requisitos legais.

Artigos relacionados

Directorio AEGFA